EI 2020 coleciona histórias no 3º dia de competição

EI 2020 coleciona histórias no 3º dia de competição

O 38° Enduro da Independência chega ao terceiro dia de competição. e alguns dos participantes já passaram por muitas aventuras e os desafios ao longo das etapas em 2020.

Neste domingo (6), a aventura foi em terras do Sul de Minas Gerais. Os pilotos saíram de Itajubá rumo a Caxambu, um percurso de mais de 155 km de trilhas. A cidade é a última parada dos quatro dias de programação.

Neste ano, o EI reúne 220 pilotos em 16 categorias. Dentro das medidas de biossegurança, a competição não terá a presença do público. Por isso, a dica é estar atento às publicações nos perfis oficiais da competição no Facebook e Youtube.

Improvisos na trilha

Diogo Dornelas Dias está inscrito na categoria Novatos

No meio do caminho de Diogo Dornelas Dias, havia um cipó. E por isso, o mineiro de Belo Horizonte que disputa na categoria Novatos teve que improvisar uma alternativa para concluir a parte da manhã no segundo dia.

“O meu sensor blue quebrou. A gente entra em desespero, porque a gente já pensa ‘ah, perdi a competição’. Aí liguei o GPS do telefone e fui por ele, tentando completar, para não perder a manhã. Aí na hora do neutro, a gente trocou o sensor blue e deu para seguir na parte da tarde”, contou.

Segundo ele, a ajuda dos amigos foi fundamental. E agora é seguir em frente. “Cada dia, a gente larga sem saber o que nos espera”, afirmou.

Todo dia, tudo novo

O mineiro de Belo Horizonte, Cleber Esteves Sacramento, tem experiência de sobra no EI. Este ano é a 15ª participação dele, que confessa o amor pela competição.

“Independência é tipo uma copa, cada dia uma etapa diferente. É o tipo da prova que você não consegue ficar sem fazer. Às vezes, você está apertado, sem grana, mas dá um jeito e tem que vir”, ressaltou.

O filho João acompanha a participação do pai, Jorge Gonzales Neto

O apoio que faz a diferença

Jorge Gonzales Neto corre junto com Nivaldo Marinho na categoria Duplas Estreante. O piloto de Rio Claro (SP) tem um apoio especial: o filho, João, a quem ensina o amor pelas motos.

“É gostoso demais. Você chega e [ganha] aquele abraço, aquele carinho. Você vê ele pulando na hora que a gente está entrando. Melhor que qualquer coisa que a gente possa falar pra ele, é o exemplo mostrado”, afirmou.

E ninguém corre sozinho. Para dar apoio a um grupo de 12 pilotos gaúchos, Vanderlei Guadagnin e Cristiano Bortolini montam e desmontam acampamentos conforme o avanço da competição. Confira o depoimento deles sobre o trabalho de suporte aos participantes.

Vanderlei Guadagnin e Cristiano Bortolini trabalham no apoio de um grupo de pilotos do RS

Experiência incrível na estreia

Entre a comitiva que veio do Rio Grande do Sul, estão Tiago Henrique Ferla e Cléber Roberto Piacentini.

Assista, no vídeo abaixo, os depoimentos dos pilotos de Garibaldi (RS). Eles estão inscritos na categoria Dupla Intermediária na primeira participação no Enduro da Independência.

Tiago Henrique Ferla e Cléber Roberto Piacentini

motoraid