Italia vence EM CASA o Motocross das Nações 2021

Italia vence EM CASA o Motocross das Nações 2021

19 anos depois da sua última vitória, a Itália venceu a 74.ª edição do Motocross das Nações.

A chuva marcou presença ao longo de todo o dia em Mantova e pode-se dizer que a lama ajudou a “baralhar as contas”… e muito!

No final da primeira de três baterias, a França liderava a classificação provisória enquanto a Itália vivia um autêntico pesadelo com vários contratempos de Antonio Cairoli a relegarem-no para a 21.ª posição.

Mas, na segunda bateria, Mattia Guadagnini e Alessandro Lupino foram 6.º e 7.º respetivamente e a equipe “da casa” saltou para o comando da tabela.

Na última corrida do dia, Antonio Cairoli saiu na 2.ª posição e Alessandro Lupino rapidamente se instalou em 6.º. Se tudo terminasse assim, os transalpinos venceriam o MXON com 11 pontos de vantagem sobre os campeões em título, a Holanda.

Mas foi aos dez minutos de corrida que começou o “drama”… Lupino sofreu uma queda e desceu para 9.º. Até aqui tudo estava controlado mas, pouco depois, soube-se que o piloto da KTM iria sofrer uma penalização de 10 lugares por ter saído de pista e ter retomado a mesma vários metros mais à frente.

Alessandro Lupino recebeu a informação da sua equipa que tinha de ultrapassar Karlis Sabulis para garantir a vitória da nação anfitriã. Foi isso mesmo que o piloto da KTM fez a quatro voltas do final mas transalpinos só puderam respirar de alívio quando o n.º 48 cortou a meta na 7.ª posição.

Com a penalização de 10 lugares, o piloto da classe Open conseguiu o 17.º posto que a Itália precisava para vencer “em casa”!

A apenas 1 ponto da “squadra azzurra” ficou a Holanda com Jeffrey Herlings (1.º/1.º) a dar um autêntico show de pilotagem em ambas as baterias em que participou. Glenn Coldenhoff (15.º/3.º) foi prejudicado por uma queda no primeira bateria enquanto que Roan Van de Moosdijk (18.º/20.º) sofreu na lama no seu regresso à competição após lesão.

A Grã-Bretanha garantiu a subida ao degrau mais baixo do pódio graças aos excelentes resultados de Ben Watson (3.º/4.º) mesmo depois de uma aparatosa queda a meio da última bateria. Shaun Simpson (12.º/6.º) também esteve muito bem nas difíceis condições e Conrad Mewse (22.º/14.º) ajudou a consolidar o resultado britânico.

Na 4.ª posição, a Rússia alcançou o seu melhor resultado de sempre com o experiente Evgeny Bobryshev (10.º/5.º), o consistente Vsevolod Brylyakov (7.º/7.º) e o regular Timur Petrashin (19.º/15.º).

Depois de ainda passar pela liderança, a França foi muito prejudicada pelo abandono de Tom Vialle (2.º/38.º) na segunda bateria devido a problemas mecânicos. Ainda assim, as prestações de Benoit Paturel (9.º/11.º) e de Mathys Boisramé (19.º/9.º) foram suficientes para que os gauleses terminassem o dia na 5.ª posição.

Na segunda metade do Top 10 ficaram a Bélgica, a Estónia, a Suíça, a Áustria e a Dinamarca.

Concluída que está a edição de 2021 do Motocross das Nações, já todos pensamos em Red Bud 2022! Até lá!

Classificação final da 74.ª edição do Motocross das Nações

motoraid